Hoje. Ontem. Amanhã.

Hoje, apenas hoje!

Um agora inevitavelmente suave e bom.

Hoje eu. Hoje você. Hoje nós.

Hoje eu quero novamente ouvir sua voz,

ouvir qualquer palavra exagerada,

carregada das impressões de quem está apaixonado.

Sentir teu perfume, de teu corpo, da tua alma.

Hoje eu novamente quero ouvir tua voz e te ver,

cada gesto teu que é tão meu e me traz vida.

Estás gravado em mim como em uma lápide.

Eu – lápide, transcrevendo você.

Hoje o teu braço tímido pode envolver-me

em um abraço furtado com gosto de doce.

Hoje e apenas hoje! E amanhã?…

Apenas quando o amanhã for hoje.

Ontem eu nem sei mais! Mas hoje…

Ah! Como hoje demora a chegar!

O teu sorriso no ar, teu desajuízo,

teu descompromisso e o meu gozo,

o meu riso maroto, e uma lerdeza no olhar.

Ontem? Nem me lembro mais.

Amanhã? Não quererei adivinhar.

Mas hoje…

© Por Lilly Araújo -2006- Direitos Autorais Reservados.